FÓRUM EVANGÉLICO
Paz do Senhor Jesus.

Por favor, cadastre-se e ajude-nos a manter uma boa colocação no google, espalhando com isso, o evangelho do Senhor Jesus, para juntos, mostrarmos que o verdadeiro evangelho, não se parece nem um pouco com o que vem ocorrendo hoje.

Toda Honra e Glória ao Senhor,
Equipe Apologética

DEUS APROVA A ESCRAVIDÃO?

Ir em baixo

DEUS APROVA A ESCRAVIDÃO?

Mensagem  Equipe Apologética em Dom Dez 25, 2011 6:31 pm

Deus aprova a escravidão?

Sim. Gn 9:25-27, 16:8-9, 17:12-13, 24:35-36, 26:12-14, Ex 12:44, 20:17, 21:2-6, 21:7, 21:20-21, 21:26-27, 22:2-3, Lv 19:20, 22:11, 25:39, 25:44-46, Dt 5:21, 15:12, 20:10-11, 20:14, Js 9:23, Lc 12:46-47, 17:7-9, I Co 7:21-22, Ef 6:5, Cl 3:22, I Tm 6:1-5, Tt 2:9-10, I Pe 2:18

Não. Ex 21:16, Lv 19:13, 19:18, 19:33-34, 25:10, Dt 15:9-10, 23:15-16, 24:7, 24:14-15, Pv 22:22-23, Is 58:6, Jr 22:13, Ml 3:5, Mt 4:10, 23:10, Mc 10:42-43, I Co 7:23, Fp 2:3, I Tm 1:9-10, Fm 1:10-15, Hb 13:3, Tg 5:4

Descontradizendo - Versículo por versículo

Gn 9:25-27 - "E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos. E disse: Bendito seja o SENHOR, Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. Alargue Deus a Jafé, e habite nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo".

E onde diz aqui que Deus aprovou o ato de Noé? Se for assim, todas as histórias absurdas de pecados cometidos pelos homens de Deus na Bíblia foram aprovados por Deus. E isto é um absurdo. O fato da Bíblia descrever esta história, não significa que Deus aprovou.

Gn 16:8-9 - "E disse: Agar, serva de Sarai, de onde vens e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai, minha senhora. Então, lhe disse o Anjo do SENHOR: Torna-te para tua senhora e humilha-te debaixo de suas mãos".

A BDC quer interpretar uma história da Bíblia que ocorreu a 3.500 anos atrás com os mesmo olhos culturais que enxergamos a escravidão nos dias de hoje. Ela comete o mesmo erro de sempre, isola a situação do seu contexto para dizer aquilo que ela quer que diga.

O anjo veio a té Agar lhe propor uma solução urgencial e não uma solução que envolveria todos os escravos daquela época. A solução urgencial era Agar voltar para sua senhora para que ela e seu filho não morresse no deserto. E o que foi que aconteceu? Agar voltou e de seu filho Ismael nasceu um poderoso povo que são os árabes nos dias de hoje. Se o anjo não tivesse intervido na história de Agar, os árabes não existiriam hoje.

A escravidão era o ponto de menor relevãncia nesta história. O assunto de maior importãncia era a sobrevivência de Agar e Ismael. E graças ao Deus que intervém, Agar e ismael sobreviveram. E todos os árabes deste mundo devem levantar suas mãos aos Céus e agradecer por este dia.

Textos

Gn 17:12-13 - "O filho de oito dias, pois, será circuncidado; todo macho nas vossas gerações, o nascido na casa e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua semente. Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa e o comprado por teu dinheiro; e estará o meu concerto na vossa carne por concerto perpétuo. E o macho com prepúcio, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada dos seus povos; quebrantou o meu concerto".

Gn 24:35-36 - "O SENHOR abençoou muito o meu senhor, de maneira que foi engrandecido; e deu-lhe ovelhas e vacas, e prata e ouro, e servos e servas, e camelos e jumentos. E Sara, a mulher do meu senhor, gerou um filho a meu senhor depois da sua velhice; e ele deu-lhe tudo quanto tem".

Gn 26:12-14 - "E semeou Isaque naquela mesma terra e colheu, naquele mesmo ano, cem medidas, porque o SENHOR o abençoava.
E engrandeceu-se o varão e ia-se engrandecendo, até que se tornou mui grande; e tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira que os filisteus o invejavam".

Ex 12:44 - "Porém todo servo de qualquer, comprado por dinheiro, depois que o houveres circuncidado, então, comerá dela".

Ex 20:17 - "Não cobiçarás a casa do teu próximo; não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo".

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Textos que contradizem

Ex 21:2-7 - "Se comprares um servo hebreu, seis anos servirá; mas, ao sétimo, sairá forro, de graça. Se entrou só com o seu corpo, só com o seu corpo sairá; se ele era homem casado, sairá sua mulher com ele. Se seu senhor lhe houver dado uma mulher, e ela lhe houver dado filhos ou filhas, a mulher e seus filhos serão de seu senhor, e ele sairá só com seu corpo. Mas, se aquele servo expressamente disser: Eu amo a meu senhor, e a minha mulher, e a meus filhos, não quero sair forro, então, seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta, ou ao postigo, e seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e o servirá para sempre. E, se algum vender sua filha por serva, não sairá como saem os servos".

Ex 21:20-21 - "Se alguém ferir a seu servo ou a sua serva com vara, e morrerem debaixo da sua mão, certamente será castigado; porém, se ficarem vivos por um ou dois dias, não será castigado, porque é seu dinheiro".

Ex 21:26-27 - "E, quando alguém ferir o olho do seu servo ou o olho da sua serva e o danificar, o deixará ir forro pelo seu olho. E, se tirar o dente do seu servo ou o dente da sua serva, o deixará ir forro pelo seu dente".

Ex 22:2-3 - "Se o ladrão for achado a minar, e for ferido, e morrer, o que o feriu não será culpado do sangue. Se o sol houver saído sobre ele, será culpado do sangue. O ladrão fará restituição total; e se não tiver com que pagar, será vendido por seu furto".

Lv 19:20 - "E, quando um homem se deitar com uma mulher que for serva desposada do homem e não for resgatada, nem se lhe houver dado liberdade, então, serão açoitados; não morrerão, pois não foi libertada".

Lv 22:11 - "Mas, quando o sacerdote comprar alguma alma com o seu dinheiro, aquela comerá delas e o nascido na sua casa; estes comerão do seu pão".

Lv 25:39 - "Quando também teu irmão empobrecer, estando ele contigo, e se vender a ti, não o farás servir serviço de escravo".

Lv 25:44-46 - "E, quanto a teu escravo ou a tua escrava que tiveres, serão das gentes que estão ao redor de vós; deles comprareis escravos e escravas. Também os comprareis dos filhos dos forasteiros que peregrinam entre vós, deles e das suas gerações que estiverem convosco, que tiverem gerado na vossa terra; e vos serão por possessão. E possuí-los-eis por herança para vossos filhos depois de vós, para herdarem a possessão; perpetuamente os fareis servir, mas sobre vossos irmãos, os filhos de Israel, cada um sobre o seu irmão, não vos assenhoreareis dele com rigor".

Dt 5:21 - "E não cobiçarás a mulher do teu próximo; e não desejarás a casa do teu próximo, nem o seu campo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo".

Dt 15:12 - "Quando teu irmão hebreu ou irmã hebréia se vender a ti, seis anos te servirá, mas, no sétimo ano, o despedirás forro de ti".

Dt 20:10-11 - "Quando te achegares a alguma cidade a combatê-la, apregoar-lhe-ás a paz. E será que, se te responder em paz e te abrir, todo o povo que se achar nela te será tributário e te servirá".

Dt 20:14 - "salvo as mulheres, e as crianças, e os animais; e tudo o que houver na cidade, todo o seu despojo, tomarás para ti; e comerás o despojo dos teus inimigos, que te deu o SENHOR, teu Deus".

Js 9:23 - "Agora, pois, sois malditos; e, dentre vós, não deixará de haver servos, nem rachadores de lenha, nem tiradores de água, para a casa do meu Deus".

Algumas questões

O Novo Dicionário da Bíblia, editado por J. D. Douglas, editora Vida Nova, faz o seguinte comentário:

"Geralmente um espírito muito mais humanitário respira por todas as leis e costumes do Antigo Testamento a respeito da escravidão, segundo é ilustrado por suas repetidas injunções, em nome de Deus, para que ninguém dominasse com violência qualquer irmão israelita (por exemplo Lv 25:43, 46, 53, 55; Dt 15:14...). Até mesmo quando a lei e o costume dos hebreus acerca dos escravos compartilham da herança comum do antigo mundo semítico, há um cuidado sem paralelo, em nome de Deus, pelas pessoas que por sua própria posição não eram reputadas pessoas, algo que se faz ausente dos códigos legais da Babilônia ou da Assíria. Além disso, deve ser relembrado que, em termos gerais, a economia do Oriente Próximo da antiguidade nunca se baseou substancial ou principalmente sobre o trabalho escravo, como no período ´clássico` e no período posterior da Grécia e , acima de tudo, do império romano. E Jó (31:13-15) anuncia o conceito da igualdade de todos os homens, qualquer que seja a sua condição, perante o criador de todos, que é Deus".

Gleason Archer no livro: "Enciclopédia de Temas Bíblicos" da editora Vida, diz o seguinte:

"No que concerne ao status moral da escravidão nos tempos antigos, devemos reconhecer que era praticada por todos os povos antigos de que temos registros históricos: egípcios, sumérios, babilônicos, assírios, fenícios, sírios, moabitas, amonitas, edomitas, gregos, romanos, e todos os demais. A escravidão fazia parte da vida e das culturas antigas, tanto quanto o comércio, os impostos e os cultos no templo. Só depois do surgimento de um conceito mais elevado do ser humano e de sua dignidade inata como pessoas criada à imagem de Deus, o qual permeou o mundo em decorrência dos ensinos da Bíblia, é que surgiu também um forte sentimento na cristandade contra a escravidão. Passou-se a questionar a razão da existência do escravo. Não se tem conhecimento de um movimento equivalente favorável à abolição da escravatura em nenhuma civilização não-cristã.

Lc 12:46-47 - "virá o Senhor daquele servo no dia em que o não espera e numa hora que ele não sabe, e separá-lo-á, e lhe dará a sua parte com os infiéis. E o servo que soube a vontade do seu senhor e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites".

Lc 17:7-9 - "E qual de vós terá um servo a lavrar ou a apascentar gado, a quem, voltando ele do campo, diga: Chega-te e assenta-te à mesa? E não lhe diga antes: Prepara-me a ceia, e cinge-te, e serve-me, até que tenha comido e bebido, e depois comerás e beberás tu? Porventura, dá graças ao tal servo, porque fez o que lhe foi mandado? Creio que não".

Jesus apenas usou uma realidade cultural para falar de uma realidade espiritual.

Ele não estava apoiando a escravidão. Ele apenas a usou como parâmetro de comparação.

I Co 7:21-22 - "Foste chamado sendo servo? Não te dê cuidado; e, se ainda podes ser livre, aproveita a ocasião. Porque o que é chamado pelo Senhor, sendo servo, é liberto do Senhor; e, da mesma maneira, também o que é chamado, sendo livre, servo é de Cristo".

Ef 6:5 - "Vós, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo,"

Cl 3:22 - "Vós, servos, obedecei em tudo a vosso senhor segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus".

I Tm 6:1-6 - "Todos os servos que estão debaixo do jugo estimem a seus senhores por dignos de toda a honra, para que o nome de Deus e a doutrina não sejam blasfemados. E os que têm senhores crentes não os desprezem, por serem irmãos; antes, os sirvam melhor, porque eles, que participam do benefício, são crentes e amados. Isto ensina e exorta. Se alguém ensina alguma outra doutrina e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, contendas de homens corruptos de entendimento e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho. Aparta-te dos tais".

Tt 2:9-10 - "Exorta os servos a que se sujeitem a seu senhor e em tudo agradem, não contradizendo, não defraudando; antes, mostrando toda a boa lealdade, para que, em tudo, sejam ornamento da doutrina de Deus, nosso Salvador".

I Pe 2:18 - "Vós, servos, sujeitai-vos com todo o temor ao senhor, não somente ao bom e humano, mas também ao mau;"

Quem eram na maioria os cristãos? De que classe social vinham? R: A grande maioria eram escravos convertidos ao cristianismo. Gente pobre, enferma,, párias sociais, etc...

Quem foi que tornou escravos estas pessoas para quem estes escritos foram dirigidos? R: O império Romano!

Diante disto, qual deveria ter sido o conselho dos apóstolos para estas pessoas?

"Rebelem-se! Não os sirvam! Não se sujeitem! Não esperem ser livres pela lei romana. Libertem-se por si mesmo! Se forem obrigados a servir, sirvam com amargura e ódio aos seus senhores! Os odeiem! Não os honrem de maneira nenhuma!”

O que vocês acham que teria acontecido a estes escravos caso tivessem tido e seguido tal conselho?

Não é necessário nem dizer que certamente seriam executados ou presos.

O conselho dos apóstolos não implicava em algum tipo de apologia a escravidão, e sim apenas a um conselho para que pudessem lidar com aquela realidade com outros olhos.

Pipe Desertor


avatar
Equipe Apologética
Admin

Mensagens : 148
Pontos : 426
Data de inscrição : 11/11/2011
Localização : RUA CORONEL XAVIER DE TOLEDO, 65 - LOJA 8D - CENTRO - SÃO PAULO

Ver perfil do usuário http://www.forumevangelico.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum